Bem Vindo !

Venha conhecer , compartilhar ,participar , ou mesmo Contar sobre os Milagres do Orisá na sua vida !

terça-feira, 24 de novembro de 2015

Isso é Milagre do Orisá

Costumo ser muito pontual quanto aos horários das refeições daqueles que estão tomando obrigações, não admito atrasos, sou muito rígido quanto a essa questão.
Ontem, o almoço de dofona de Omolú foi servido às 12h10, poucos minutos depois, a campainha do portal é tocada.
Oyá Genan abre o portão e encontra um senhor de idade que lhe pede algo para comer, suado, com aspecto de cansado.
Ela vai à cozinha e trás uma marmita com tudo que iríamos comer, de tudo um pouco e entrega ao senhor, além de um litro de refrigerante.
Ele agradeceu, sorrindo, e se foi.
Isso ocorreu logo após o almoço de dofona ser servido.
Hoje, por estarmos em função desde cedo, o almoço atrasou e a poucos minutos atrás ele foi servido.
E, em seguida, a campainha tocou e lá estava o mesmo senhor com a mesma roupa, com o mesmo semblante e pediu algo para comer, devolvendo a marmita que ontem ele havia levado.
Ficamos todos surpresos porque a campainha tocou logo após o almoço de Dofona de Omolú ser servido.
Oyá Genan me informou o ocorrido e fui conhecer esse Senhor.
Ao vê-lo, ele me sorriu e agradeceu o almoço que lhe foi entregue por Oya Genan na mesma marmita.
Puxei conversa e ele me respondeu com poucas palavras.
Me agradeceu muito pelo almoço e me perguntou: Vocês são de Axé?
Olhei Oyá Genan e respondi que sim.
Ele sorriu e agradeceu mais uma vez e eu disse a ele que poderia vir buscar seu almoço nos próximos dias sem problema, que estávamos nesse mundo para ajudar, para sermos uteis ao próximo.
Ele agradeceu e disse que não seria preciso porque estaria voltando para a casa dele.
Perguntei onde ele morava, ele respondeu que morava bem longe daqui e se foi.
Ficamos perplexos, eu, Oya Genan...
E sentíamos que algo havia de especial naquele senhor.
E de repente, somos avisados que o Omolú de Dofona estava rodado na camarinha (e ela não sabia o que ocorria cá fora, nem havia escutado nada).
O Òrìsà desvirou, deixou o erê e ficamos a saber que Omolú havia nos visitado materializado naquele sofrido Senhor.
Num misto de surpresa e felicidade, procurei nos búzios as respostas que eu não tinha, e Omolú responde que está tudo bem.
Que ele havia ido nos visitar "materialmente", que tudo estava bem, como costumo dizer, odara.
E eu fico a agradecer e chorar por saber que estamos no caminho certo.
São muitas as bênçãos de àse.
Pai Jorge Viegas de Osún
Natal - Rio Grande do Norte

quinta-feira, 28 de maio de 2015

Senhor dos Céus !


Olorum 
Senhor dos céus !

Olho para mim e vejo quanta roupa velha estou vestindo!
Quantas mágoas e ressentimentos ainda me vestem o corpo e a alma!
Observo ainda como os traumas da infância continuam dirigindo minha vida,
Meus hábitos, meus relacionamentos. 
Quero vida nova, mas continuo preso a tudo aquilo que já não tem mais serventia para mim. 
Não quero continuar sofrendo por essas coisas velhas, nem quero consertá-las, remendá-las.
Eu quero me libertar delas, quero ser uma nova pessoa, quero beber vinho novo, 

E não este vinagre azedo, que me fere a alma.
Hoje eu sei que Você está me trazendo roupa nova e vasilha nova.
Peço a sua ajuda, Mestre, para me desvestir de tudo aquilo que impede a minha felicidade.
Ajude-me a perdoar as pessoas que me feriram .  Quanto a mim ?

Também não quero mais  ferir ninguém . não quero ficar , 
Guardando em vão essas recordações amargas.
Limpe meus olhos para ver a felicidade nas coisas simples da vida 

E para procurar graça e beleza em tudo aquilo que cruzar meu caminho.
Hoje eu sou uma nova pessoa graças a tua benevolência !
Peço que o Alá ( manto branco de Oxalá )

Seja a roupa protetora da minha vida , e da vida de todos os meu Irmãos !

Asé !

sábado, 9 de maio de 2015

Uma Mãe , Um Pai


Uma Iyá (mãe de santo ) Ou Bábá (pai de santo )


Não precisa ser mestrado ou doutorado
Mas deve conhecer e  divulgar a cultura de seus ancestrais

Não tem que ter .
Casa em bairro chique  , carro do ano , roupas luxuosas
Mas tem que ser .
Rico em nobreza ,humildade e amor

Não tem que falar vários idiomas
Um português perfeito ou um Yorubá musical
Mas tem que se fazer entender pelos seres humanos
E compreender o que Deus  os Orisás e Encantados
Falam , preparam e esperam de todos nos

Não tem que ser psicólogo(a)
Assistente social
Jurista ou Médico(a)
Mas tem que saber ouvir
Auxiliar ,defender e confortar

Não tem que prevê o futuro
Basta  preparar quem lhe procura
Para  mudar o que pode ser mudado
Aceitar o que não tem como ser de outra maneira
E prepara a todos para aceitar a vontade de Deus em nossas vidas  !

Iyá Ayrá Túnjí (Mãe  Emília de Ayrá )


quinta-feira, 19 de março de 2015

Por Mais Aulas de Historia da Africa nas Escolas


Responde essa povo ,
Toda escola ensina mitologia Greco - Romana ,Nórdica , Indu etc...                                                       E nem por isso os professores"  pseudos cristãos "
Afirmando ser coisa do diabo ,
Deixam de dar aulas de história sobre esse tema  , claro que alem do fanatismo
Religioso , da Intolerância , existe ai  o Racismo velado ,a justificativa para não
Ensinar a história da Africa na escola é sempre a mesma esses Deuses Heróis, Africanos
Só pode ser coisa do diabo ,
As diretorias de ensino tinham que ser Imparciais , existe uma lei em nosso país ,
Que apoia o ensino da Mitologia Africana nas escolas ;
Mas que não é respeitada , Parabéns a esse Professor por Sua critica construtiva ;
Uma provocação mais que pertinente !

quarta-feira, 4 de março de 2015

Mais Aulas de Historia

Queremos Mais Aulas de Historia
E nos mobilizaremos ,
por mais aulas de historia para lembrar da recente ditadura no brasil
por mais aulas de historia , para lembrar do massacre das " minorias " ?
na segunda guerra mundial . perseguidas e massacradas por serem e pensarem diferente dos outros
por mais aulas de historia , para lembrar aos fundamentalistas cristãos que ate bem pouco tempo os perseguidos eram eles
e que hoje ao invés de fazer o que prega o cristo ,rumam na via oposta do amor e da caridade perseguindo as outras religiões
que pregam , pensam ou agem diferente do que eles acreditam ;
por mais aulas de historia , para lembrar quantas culturas foram dizimadas . por pensarem agirem ou falarem diferente do que o opressor deseja impor ao oprimido
por mais aulas de historia para ensinar a quem ainda não sabe , e relembrar a quem esqueceu
dos bilhões e bilhões de seres humanos que foram dizimados em toda historia da humanidade
só para satisfazer os caprichos de seres que se diziam humanos e que queria se arvorar de serem
os mais certos perfeitos e detentores da verdade , só para aplacar a sede de poder que lhes vinha na alma !
Vamos pedir aos governantes de nossa cidade , do nosso estado , do nosso pais , de nossas nações
Por Mais Aulas De Historia Em Nosso Ensino Publico e Privado
Para que assim posamos mudar a percepção distorcida que existe hoje sobre o que é certo ou errado enquanto humanidade
vamos mudar a Historia de Impor nossos conceitos , credos , e vontades , goela a baixo dos que pensam diferente !
a diversidade é a mais bela das conquistas e o mais belo presente que o criador concedeu a todos nos .
Vamos viver essa diversidade com respeito , você não tem que aceitar o outro mas tem que respeitar os outros
respeito é a melhor forma de amar e de amor que existe ,
o respeito desprende do gostar ou não do aceitar ou não
o respeito denota sabedoria e desprendimento do nosso desejo pessoal e egoísta de querer que tudo seja a nossa imagem e semelhança
lembrem-se imagem e semelhança é herança divina , não humana , não queiram o lugar de Deus !
boa estadia entre nos . Gratidão e .... " Mais Aulas de Historia "
Mãe Emília de Ayrá
Yalorisá do Ilê Asé Ayrá Túnjí
Mestra da Casa de Boiadeiro
Idealizadora e diretora do Grupo Cultural " Coco do Encantado " e da " C&a Beloyá de Dança Folclórica e Teatro Ancestral "
Presidente Executiva do Grupo Fraterno Francisca Domingues
Idealizadora e Coordenadora Nacional do Movimento
" MÃE " Movimento Axé Ecológico
Idealizadora e Coordenadora Nacional do Grupo
Mulheres de Axé Brasil .

domingo, 8 de dezembro de 2013

Como Nasce um Rio !






O SEGREDO DE OXUM

"O nascimento de um rio não acontece quando a água brota do solo e segue pela superfície da terra. 
Antes disso, uma seqüência de fatos desencadearam e influenciaram esse processo.
Existe por traz do nascimento de um rio um enorme fundamento.
Primeiro Olorum através do Sol aquece a água dos lagos e oceanos.
Oxumarê com seu arco-Íris, leva a água em forma de vapor para as nuvens que ficam carregadas.
Xangô anuncia com seu trovão, que Iansã está juntando ás nuvens com o vento mágico que surge quando ela balança suas saias.
Quando as nuvens estão todas arrumadas, Xangô lança o Edun-Ará (pedra de raio) sobre a terra avisando a Odudúa que prepare seu ventre, pois a chuva irá cair.
Ossãe pendura suas cabaças em Iroko para conter o líquido maravilhoso da vida.
O momento sublime acontece.
Numa sintonia perfeita de toda a natureza, a chuva cai, trazendo consigo toda força do céu e alimentando toda a terra.
Odudúa absorve todo o líquido e cria um enorme lago no interior da terra, seu ventre.
Quando a água acumulada se enche de força mineral (axé), Odudúa abre seu ventre e da vida à majestosa Oxum, que brotará do solo e deslizará sobre seu leito levando vida por toda a superfície da terra.
Mais a frente água se acumulará de novo e tudo começará novamente.
Assim como a vida de Oxum tem o seu segredo, nós negros e negras também temos o nosso.
A nossa história não começa em 1500 com a chegada dos portugueses no Brasil.
Antes disso, uma seqüência de fatos marcaram e até hoje influenciam nossas vidas.
Existe por traz do aparecimento do povo negro no Brasil um enorme fundamento. Não somos descendentes de escravos, como dizem os livros escolares.
Somos descendentes de civilizações africanas, de reinados fortes e poderosos.
Somos descendentes de reis, rainhas, príncipes e princesas.
Somos parentes de homens e mulheres que desenvolveram a escrita, a astrologia, a numerologia, às ciências e as pirâmides.
Somos fruto de um povo que desenvolveu as técnicas agrícolas e que domina a medicina alternativa.
Somos fruto de um povo que conhece as folhas e como despertar o poder delas, nosso povo sabe estar no Aiyê (Terra) sem perder a essência do Orum (Céu).
Tudo tem começo, gênese. Tudo que é inteiro foi antes iniciado.
Tudo que é partido foi antes inteiro.
O que não acaba se dissipa.
O que respira, vive.
Sós, dentro de nós, o sangue que corre voraz e quente, pulsante, ardente.
É o que faz o começo.
Filhos d'África, filhos d'água, terra, fogo e ar.
Somos feitos de natureza. Temos sangue e suor. Negro. Somos movidos pela fé, conduzidos pelo tambor, assentados no batuque de Nação. Traduzimos o sentimento através do corpo, da fala, do olhar.
Com os pés no chão somos a extensão da terra. Frutos da miscigenação de raças .
 — com Amanda Alexandre.

Eloyá - Oyá

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

O Planeta Precisa De ?


“O planeta não precisa de mais ‘pessoas de sucesso’. O planeta precisa desesperadamente de mais pacificadores, curadores, restauradores, contadores de histórias e amantes de todo tipo. Precisa de pessoas que vivam bem nos seus lugares. Precisa de pessoas com coragem moral dispostas a aderir à luta para tornar o mundo habitável e humano, e essas qualidades têm pouco a ver com o sucesso tal como a nossa cultura o tem definido.”

(Dalai Lama)

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Amor e Paz




"Que ninguém implore amor, nem afeto, nem mendigue qualquer sentimento que exige um pedaço do outro. 
Viver de migalhas, jamais. 
Soma-se de coisas que te façam bem, ignore qualquer tipo de sentimento que te subtraia. 
Que tudo seja natural, principalmente nossas próprias escolhas. 
Que as pessoas não sejam apenas de carne e osso, mas que sejam de alma e coração, que façam a diferença, nem que seja por... um momento, mas que seja. 
Que o carinho seja muito mais que um simples tocar, mas seja um sentir.
E que antes de aprender a amar o outro, amemos a nós primeiro e se for implorar por amor, que seja por amor próprio. "


domingo, 1 de setembro de 2013

Como Agradar um Orisá ?


Certa vez, um homem foi se consultar com um Babalawo. Queria saber por que não dava nada certo em sua vida.

Ao receber a mensagem de Ifá, descobriu qual era o problema. O Babalawo lhe disse:

- Meu filho, sua vida não vai pra frente porque você não fez as oferendas que deveria.

Surpreso o homem indagou:

- Fiz oferendas a todos os Orixás.
Como posso não ter feito as oferendas que deveria?!
Fui à cachoeira, agradei mamãe Oxum com Ipetê.
Fui até o mar, a Yemanjá ofertei flores e perfumes.
Nos campos, ofereci a Ogum um cará regado com muito dendê.
A Yansã, arriei nos pés de um bambuzal nove acarajés.
Em um lindo bosque, oferendei um sarapatel à Nanã e na Calunga deixei junto ao cruzeiro um alguidar com pipocas à Obaluayê.
Xangô comeu um saboroso amalá que arriei na pedreira e a Oxossi, levei até as matas um banquete com abóbora, milho, côco e muito mais.
E ao glorioso pai Oxalá, oferendei, em um lindo jardim, uma saborosa canjica coberta com muito mel.
Agora pergunto: - Ainda faltou alguma coisa?!

- Faltou o principal, meu filho!

Quando você foi à cachoeira agradar a Oxum, pediu-lhe amor e lhe deu um Ipetê.
Mas não ofertou o amor que ela esperava que tivesse pela sua religião, pelos seus antepassados e pelo seu semelhante.
Nas águas de Yemanjá, você pediu que abençoasse sua família, mas não é só com flores e perfumes que se agrada a rainha do mar.
É preciso que trate a todos os seus irmãos com respeito, pois somos todos uma só família. Nos campos de Ogum, não basta lhe dar um cará. Necessita-se ter a bravura de um guerreiro para suportar os desafios inerentes à vitória almejada.
Os ventos de Yansã, que sacodem o bambuzal, trazem os ares da certeza que põem em ordem os corações duvidosos, levando os eguns desorientados, desde que os acarajés ali arriados sejam regados com o fogo da coragem e do entusiasmo.
Nos bosques sagrados de Nanã, só se consegue adentrar com profundidade quem traz consigo não só o sarapatel, mas a sabedoria, pois sem ela não se pode se livrar do lamaçal da vida causado pela maledicência, geradora da falta de fé.
Na casa do velho Obaluayê, o senhor das passagens, não adianta arriar o deburu (pipoca) se não vivenciar o que isto representa. É necessário mergulhar no fogo da intolerância, deixar a casca dura da vingança e saltar como uma linda flor.
O amalá deixado na pedreira só agrada a Xangô se seu coração não estiver como uma pedra, pois assim não adianta pedir para ele aplicar a justiça sobre seus desafetos, porque você não evoluiu o suficiente para discernir justiça de vingança.
Seria melhor ter pedido que o ensinasse a proceder com justiça para com o próximo.
Para Oxossi, não era necessário um banquete.
A fartura em sua vida virá quando você repartir com os menos favorecidos aquilo que você tem em abundância, pois quem reparte aquilo que tem, nuca lhe faltará.
Quanto ao bondoso e cristalino pai Oxalá, requer-se muito mais que uma canjica para agradá-lo.
Sua oferenda é o seu coração.

Não basta que a canjica esteja cândida; seu coração é que deve estar tomado da mais pura brancura. Você pediu paz, mas não agiu de forma pacífica durante toda a sua vida.
E ainda disse que os trabalhos não deram certo.

Ora! Não foram os trabalhos, ebós, sacrifícios e oferendas que fracassaram.
Avalie sua vida até os dias de hoje. Coloque um ponto final no modo egoísta de viver. Volte até o recanto dos Orixás e lhes peça todo o axé necessário para que suas mãos possam produzir neste mundo a paz, o amor, a fartura, a justiça, a coragem, a sabedoria e a força geradora das obras do bem. Somente após mudar sua própria maneira de agir, de modo a poder plantar e regar boas sementes, você poderá colher os frutos de um novo amanhecer.
Até lá, faça com fé suas oferendas.
Os guias espirituais estarão junto de você.

Mas não esqueça que a maior oferenda é o seu coração!

Por Ronaldo Figueira

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

O Fu ruru




O fu ruru
Ele é a brisa refrescante 

O rere
Ele, o benevolente

O yi rara
Ele dificilmente se aborrece

Baba ke yen Ewulejigbo
Pai pelo qual temos carinho e é o Senho de Ejigbô

N'ile Ifon
Na Terra de Ifon

Mojuba Baba
Eu saúdo Pai

Ejigbo rere mojuba o
Na Boa Terra de Ejigbô eu o saúdo

Oluaiye
Ele é o Dono da Vida

E mayo
Vocês têm que se alegrar

E mayo
Vocês têm que se alegrar

O wa re se
Pelas coisas boas que ele nos faz

E mayo b'elese kan, Baba
Vocês têm que se alegrar, mesmo se o pai o fez com uma perna só

E mayo
Vocês têm que se alegrar

O wa re se
Pelas coisas boas que ele nos faz

E mayo b'alapa kan, Baba
Vocês têm que se alegrar, mesmo se o pai o fez com um braço só

E mayo
Vocês têm que se alegrar

O wa re se
Pelas coisas boas que ele nos faz

E mayo b'oloju kan, Baba
Vocês têm que se alegrar, mesmo se o pai o fez com um olho só

E mayo
Vocês têm que se alegrar

O wa re se
Pelas coisas boas que ele nos faz

E mayo b'eleti kan, Baba
Vocês têm que se alegrar, mesmo se o pai o fez com uma orelha só

E mayo
Vocês têm que se alegrar

O wa re se
Pelas coisas boas que ele nos faz



Tradução Babá Alayé

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Amarração



Relato de uma Guardiã sobre as consequência  de amarração

...”Quando me pedem para trazer o “dito” amor de volta e amarrar “aquele” homem ou mulher, uma sensação de profundo pesar me invade, me pergunto como uma criatura humana pode achar que consegue alcançar a felicidade ou levar vantagem causando tamanha interferência no caminho da outra pessoa, e o que é pior em seu próprio destino, isso tudo tendo como justificativa o amor?! Que amor é esse que exige posse!

A magia de amarração deixa a pessoa ligada a outra, mas a pessoa não deixa de ser como ela é, com suas qualidades e seus defeitos e aí?! Se no meio do caminho você enxergar que aquela pessoa não é o seu “príncipe encantado”, o conto de fadas irá se tornar seu pior pesadelo enquanto durar o encantamento. Por outro lado, como você também fica amarrada ao “sapo” pode ser que o verdadeiro amor (aquele que foi destinado a você) passe diversas vezes em sua vida, esteja ao seu lado e você não consiga perceber, ou se conseguir, vai estar aprisionada em um relacionamento por amarras que você mesma(o) colocou. Com isso você acaba procurando um terreiro novamente e aí você já pode imaginar...

E isso é só uma pequena amostra do que pode acontecer, não esquecendo dos lares que você pode desfazer quando amarra uma pessoa casada, por exemplo, se você soubesse o mal que está causando a você e ao seu “amor”...

Portanto nos peça para abrir seus caminhos para o amor, peça para preparar seu coração pra sentir e seus olhos para reconhecerem o amor quando chegar e ele será pleno trazendo o aconchego, a segurança que você tanto procura.

No fio de novelo do amor você pode ficar a vida inteira perdida(o) segurando a sua ponta sem conseguir se juntar ao amado(a) que está na outra extremidade, se levar sua vida com seriedade, resignação e fé certamente irá juntar as duas pontas, mas se entrar no labirinto da cobiça e vaidade correrá o risco de se perder para sempre...”



Fonte facebook